quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Com açúcar ou amargo?

Durante os meus cinco anos de faculdade aprendi muito sobre Relacionamento com o cliente, atualmente trabalho diretamente com o público por diversos meios. Todos os dias gerencio uma maneira de lidar com cada um, pois são perfis e necessidades distintas, mesmo quando todos compram um único produto. No entanto, muito mais do que cumprir a ordem de compra, o cliente precisa de atenção, seja um acompanhamento de estoque ou um “tenha um ótimo dia”, logo depois do Atenciosamente.

O objetivo principal de toda organização é o lucro – o faturamento líquido no final de cada mês. Muitos gestores esquecem que o cliente é a causa do resultado positivo e deixam de lado a cordialidade, perturbando-o semana após semana querendo fechar pedido. Logo, conhecê-lo e saber as suas necessidades desde o primeiro contato e durante a relação é primordial: os prazos, as principais datas de compra, os gostos, os produtos que costuma adquirir, os benefícios potenciais que desejaria ver em um determinado produto; nesta relação os detalhes fazem a diferença. Não é entupir o tempo do cliente com pesquisas e perguntas tendenciosas, mas observar as suas decisões de compra para encantá-lo com ações futuras. Não é empurrar um produto qualquer baseado nos objetivos da empresa; é procurar saber se aquele produto servirá para aquele ou aquele consumidor.

Muito se fala em Relacionamento e nos gerenciadores da relação - como o CRM, e cada vez mais os profissionais da área discutirão o assunto, bolando estratégias para convencer o cliente de que o produto que vende é melhor que o da concorrência, levando em consideração os detalhes. Sabe-se que o mercado consumidor está em constante transformação, principalmente em relação aos seus desejos de consumo, detém informações que no passado não eram possíveis e conhece melhor os seus direitos.

Não precisa amar o cliente, mas sirva um café vez em quando e pergunte: Com açúcar ou amargo?!

 

Por enquanto eu vou gerenciando da forma que posso, mesmo porque não tenho contato pessoal com os meus clientes e vendo um único produto; mas sinto que um simples telefonema ou e-mail com a intenção de saber se está tudo bem basta para ganhar pontos extras.

Indicação de artigo sobre o assunto:
A difícil arte de se relacionar - Por Cláudia Nassif no Mundo do Marketing.

2 comentários:

Pequena Poetiza disse...

ótima maneira de se relacionar com os clientes

beijos

Aninha disse...

Nem sempre as pessoas tem o hábito de elogiar um bom atendimento, mas percebem rapidinho quando são mal atendidos; porém, creio que temos o péssimo hábito de não procurar as gerências para comunicar nenhum dos dois. Assim, como querer que as coisas mudem? Estou, há algum tempo, me esforçando para me acostumar a elogiar o bom atendimento, para quem o presta, pelo menos.
O post do 7x7, ontem, foi meu. Apareça por lá, onde sempre se é bem-vindo!
Abraço.